PRÊMIO JORGE NARCISO DE MATOS A mais alta comenda oferecida para um rotariano de nosso clube.

O prêmio Jorge Narciso de Matos foi instituído em 2014 para reconhecer um grande rotariano do clube pelos dedicação e serviço prestados ao longo do ano tanto para o Rotary como para a comunidade e também lembrar a memória desse grande rotariano que foi Jorge Narciso de Matos.

ANO ROTÁRIO 2014-15

O companheiro Sergio Soave foi o primeiro rotariano a ganhar essa comenda.
O prêmio foi entregue durante a festiva de posse do conselho diretor 2015-16 no dia 03/julho/2015.
Estiveram presentes sua esposa Maria Aparecida e seus filhos filhos Jorge Narciso de Matos Junior e Marcos Marcelo de Moraes e Matos



COMPANHEIRO Jorge Narciso de Mattos

Nascido em 16 de janeiro de 1945 na cidade de Pereiras, o Professor Jorge Narciso de Matos era casado com a ex companheira do RC de Sorocaba Sul Maria Aparecida Moraes de Matos, com quem teve os filhos Jorge Narciso de Matos Junior e Marcos Marcelo de Moraes e Matos.
Em sua formação acadêmica, Jorge Narciso foi licenciado em letras pela Faculdade de Filosofia de Itararé-SP em 1976; sociólogo, especialista em Cultura Brasileira em 1988, pela Faculdade de Filosofia de Sorocaba e especialista em Planejamento e Desenvolvimento Regional pela Universidade de Guarulhos em 1995.
Dentre suas atividades profissionais, Jorge Narciso era Auditor Fiscal do Instituto Nacional da Seguridade Social – INSS, aposentando-se como Gerente Executivo da entidade em Sorocaba, já aposentado passou a desenvolver a atividade de Consultor de Empresas. Além da atividade de Consultou também passou a ministrar aulas na Universidade de Sorocaba como professor titular a cadeira de História da África.
Teve grande participação em nossa sociedade, atuando como: Presidente da Comissão Municipal de Mobral de Itapeva (1971/75); Membro do Conselho Municipal de Educação e Cultura de Sorocaba (1984/89); Membro da Academia Sorocabana de Letras (1985-2003); Membro do Conselho Municipal de Cultura (1996-2000); Membro do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba; Fundador do Instituto de Cultura Afro-Brasileira, que deu origem ao Núcleo de Cultura Afro-Brasileira (1979), hoje estabelecido e institucionalizado como órgão da Universidade de Sorocaba; Membro da Associação de Sociólogos do Estado de São Paulo; Diretor do Instituto Brasileiro de Estudos Africanistas; Presidente do Conselho Consultivo da Sociedade 28 de Setembro, desde 1985; Instituidor da Fundação Cafuné (1990); Conselheiro e ex-presidente da FUNDEC Fundação de Desenvolvimento Cultural de Sorocaba; Irmão da Santa Casa de Misericórdia de Sorocaba, da qual foi Diretor; Coordenador do Núcleo de Cultura Afro-Brasileira; membro da Comissão Editorial da Revista de Estudos Universitários da Universidade de Sorocaba e associado da Associação dos Servidores Federais do Estado de São Paulo, a qual presidiu até seu falecimento.
Jorge Narciso acreditava que através de suas ações na sociedade civis teria a oportunidade da promoção de uma vida melhor aos menos favorecidos. Como ativista negro lutou em toda sua trajetória pela inclusão dos negros na sociedade, buscando alternativas de melhores condições de estudo e emprego, favorecendo a redução do preconceito racial.
Certamente, foi vitorioso nesta luta, pois através de suas iniciativas as portas da oportunidade se abriram para vários jovens negros carentes que foram agraciados com bolsas de estudos patrocinadas pela Fundação Cafuné, da qual foi o idealizador um dos instituidores.
Em cada entidade que participou deixou sua marca de coragem e comprometimento com as causas que empunhou. Entre elas vale lembrar da formação da Universidade de Sorocaba, na qual como articulador juntamente com o Professor Aldo Vanucci e outros apoiadores , definiram com o Prefeito Paulo Mendes as providências necessárias para o apoio da Prefeitura de Sorocaba à iniciativa, o que propiciou que Sorocaba tivesse uma das melhores universidades do país.
Rotariano, desde 1968, quando tinha apenas 23 anos, tomou posse pela primeira vez cidade de São Sebastião, como fundador do RC de São Sebastião, após mudou-se para Itapeva, onde filiou-se ao RC de Itapeva e posteriormente já em 1974, filiou-se ao Rotary Clube de Sorocaba Sul, do qual foi presidente 1986/87 e atuou no clube em todos os cargos do Conselho Diretor e avenidas de serviços.
Desempenhou muitas funções Distritais, tendo também servido ao Rotary Internacional como primeiro Governador do Distrito 4620 (1991-92), logo após sua criação pelo redistritamento do Distrito 462.
Companheiro Paul Harris e Benfeitor, como entusiasta da Fundação Rotária desempenhou importantes funções na instituição, inclusive sendo reconhecido com menção da entidade pelos serviços a ela prestados. Também se destacou como voluntário internacional do Rotary International em missão para desenvolvimento social no Paraguai. Na Costa Rica atuou como Consultou Internacional de Programas Humanitários.
Pela sua atuação e dedicação incansável ao Rotary, foi reconhecido com a mais alta honraria outorgada a um rotariano que é o recebimento do Prêmio “dar de si antes de pensar em si”.
Ainda como cidadão, Jorge Narciso foi reconhecido pelo poder legislativo como Cidadão Itapevense, Riberobranquense e Sorocabano, além de ter também sido reconhecido como Guardião da Medalha do Centenário da Abolição pela Prefeitura Municipal de Sorocaba, irmão Meritório da Santa Casa de Misericórdia de Sorocaba, além de ter recebido a Medalha de Honra ao Mérito da Sociedade Cultural e Beneficente 28 de Setembro.
Muitos foram os reconhecimentos outorgados ao Companheiro Jorge Narciso de Matos, inclusive, após sua morte, a denominação da passarela existente no quilómetro 92, da Raposo Tavares que dá acesso ao Campus da UNISO. Porém nenhum deles equivale a sua presença física nas reuniões e participação nos eventos do clube, seja nas reuniões ordinárias, nas mesas de truco ou nos almoços familiares, principalmente realizados chácara Stecca.
Seu senso de amizade e companherismo é que permite ao Rotary Club de Sorocaba Sul, denotar sua importância na família Rotária.
Faleceu em 30 de agosto de 2003, vítima de acidente automobilístico na rodovia Raposo Tavares, retornando de um compromisso rotário na cidade de Itaí.